As fontes alternativas de energia

As fontes alternativas de energia

       A enorme participação das fontes não-renováveis na oferta mundial de energia coloca o mundo diante de um desafio: a busca por fontes alternativas de energia.

       Questões ligadas ao aumento das temperaturas médias do ar na Terra, exigem uma nova postura por parte dos governo  em relação à população  de energia. Para tal, investimentos em tecnologias  são necessários para a geração de energia limpa.

       Um terço da população mundial não tem acesso à energia elétrica e o fornecimento de eletricidade é uma condição básica para a melhoria da  qualidade  de  vida  das  pessoas, sobretudo  no  contexto  da   Terceira Revolução Industrial, em  que  a  informática  dinamizou  o acesso à informação, via Internet, e traz novas exigências para a inserção no  mercado de trabalho.

       Há diversas fontes alternativas disponíveis, exigindo desenvolvimento tecnológico para que possam ser rentáveis e, consequentemente, utilizadas em maior escala. Entre elas, destacam-se o Sol, o álcool, o vento,o calor da Terra,o carvão vegetal e o biogás.

O SOL

       O aproveitamento  da energia solar oferece grandes vantagens: não polui, é renovável e existe em abundância. Entretanto, pelo fato de a sua utilização  em  larga  escala  (grandes  usinas)  para  a  geração  de  energia  elétrica  estar  em  fase  relativamente  inicial  de  desenvolvimento tecnológico, a energia solar ainda não é viável economicamente, ou seja, os custos financeiros para sua obtenção superam os benefícios.

       A geração de energia elétrica tendo o Sol como fonte  pode ser obtida de forma direta ou indireta:

-na forma  direta:  acontece por meio de  células fotovoltaicas, geralmente feitas de silício, um dos  ele-

mentos mais abundantes na crosta terrestre.. a luz solar, ao atingir as células, é diretamente convertida em eletricidade. As células ainda  apresentam preço elevado.

-na forma indireta: controem-se usinas em áreas de  grande insolação (áreas desérticas, por exemplo), onde são instaladas centenas de espelhos côncavos (coletes solares)  direcionados para um determina-

do local, que pode ser uma tubulação de aço inoxidável, como ocorre no deserto de Mojave, na Califórnia (EUA), ou um compartilhamento contendo simplesmente ar, como ocorre em Israel.

       Nas usinas da Califórnia, há a tubulação de aço inoxidável que circula um tipo de óleo, que é aqueci-

do pelo calor do Sol concentrado. O Óleo aquece a água que circula em outra tubulação.A água vira   va-

por, que  irá mover as turbinas e acionar os geradores elétricos.

       Já na usina de Israel, o calor aquece o ar existente no compartilhamento até 1300ºC, quando este aciona uma turbina e gera eletricidade.

 

O ÁLCOOL

       O Álcool é produzido principalmente a partir da cana-de-açúcar, do eucalipto e da beterraba. como

fonte de energia, pode ser utilizado para fazer funcionar motores de veículos (álcool etílico, da cana-de-açúcar e da beterraba; e metanol, do eucalipto) ou para produzir energia elétrica.

       Como combustível para automóveis, o álcool tem a vantagem de ser uma fonte renovável e menos  poluidora que a gasolina, além de ter possibilitado, no caso brasileiro, o desenvolvimento de uma tecno-

logia nacional de produção de motores. Mas o álcool nunca suprirá a necessidade total de   combustível

dos veículos automotores. Para se utilizar apenas o álcool para abastecer os veículos,  há a necessidade de ocupar uma área significativa do território para o plantio de cana-de-açúcar.

 

ENERGIA EÓLICA

        O vento também é um recurso  energético abundante na natureza, quando intenso e regular, pode ser utilizado para produzir energia a preços relativamente competitivos e este custo poderá diminuir ainda mais quando a energia dos ventos estiver mais difundida.

       A tecnologia atualmente empregada na construção dos cataventos que geram eletricidade é bastante sofisticada e consegue explorar a força de ventos  que sopram  a mais de 10 metros  por segundo. As imensas pás dos rotores, com até 100 metros  de comprimento, são agora construídas em fibra de vidro (as primeiras, de aço,  deterioravam rapidamente) giram a frequências que não interferem nas  transmissão controladas por computadores.

       Alguns países europeus já projetam rotores com potência de até 4 mil quilowatts, enquanto a Nasa, nos EUA, pensa em atingir a potência de muitos negawatts, em  colaboração com o Departamento de Energia.

       O Parque eólico no Ceará (Trairi) gera questionamento e  manifestação da comunidade em  relação  ao  meio ambiente. A  população alega  que  as usinas ocupam as dunas, aterram os lagos e produzem poluição sonora.

       O Estado do Ceará possui mais de 17 parques eólicos e lidera a produção desse tipo de energia no Brasil, com 50% da potência instalada em todo o país.

      Projetos de usinas e centrais eólicas devem ser concretizadas nos municípios de Mundaú, Flecheiras e Guajirú. Os aerogeradores de energia eólica devem ser concretizadas no início de 2012.

 

O CALOR DA TERRA

       As centrais geotérmicas  transformam o calor do interior da Terra em fonte de energia.

       a principal vantagem da energia geotérmica é a escala de exploração, que pode ser adequada às necessidades, permitindo o seu desenvolvimento em etapas, à medida que aumenta a demanda. Uma vez concluída a instalação, os seus  custos de operação são baixos. Nas centrais   encravadas   em     zonas de vulcanismo, há água quente e vapor que afloram à superfície ou se encontram a pequena profundidade.

       Costa Rica, Guatemala e, principalmente, a Islândia, já  utilizam esse  tipo de  energia. Atualmente,  a  exploração da  energia  geotérmica estende-se a outras  regiões,  além  das  vulcânicas,  cuja  superfície apresenta claros indícios de vapores subterrâneos.

 

O BIOGÁS

       O gás principal que constitui o biogás é o metano e é obtido a partir de reações anaeróbicas (sem oxigênio) da matéria orgânica existente no lixo, que é recolhido nas cidades e depositado nos aterros  sanitários energéticos. E tem como importância na utilização de geração de gás combustível de uso  doméstico ou combustível de veículos, solucionando ainda  um problema, especialmente para  as  metrópoles   a  destinação do lixo.