Aquecimento global

       A água é um recurso renovável, mas alguns fatores pode escasseá-lo, como o nível de poluição, desmatamento, entre
outros.
       Foi na água que, há cerca de 4 bilhões de  anos, surgiram as  primeiras  formas de vida  - seres  microscópicos,  que  extraíam a energia do dióxido de carbono (CO2) para sobreviver. Há 800 milhões  de anos, desenvolveram-se os ancestrais de todos os animais. Há 315 milhões de anos apareceram os primeiros anfíbios, depois os dinossauros e, há 4  milhões de anos surgiram os primeiros hominídeos (formas ancestrais já extintas).
       Hoje, milhões de espécies vivem fora da água, mas todas elas a necessitam para sobreviver.
       A água é uma substância química constituída por dois átomos de hidrogênio (H2) e um oxigênio (O), que forma a molécula H2O.
       O  ciclo da água é contínuo: transpiração e evaporação;  condensação; precipitação; escoamento e infiltração. 
       Os rios e lagos são abastecidos da água proveniente da evaporação dos oceanos, de águas no solo, da transpiração da vegetação e dos próprios rios e lagos. A água se  condensa  (torna-se denso - com massa e peso)  e  precipita-se  em forma de chuva, de neve ou de granizo. Depois ela escoa pelos  rios ou  para  debaixo da  terra (subsolo),  alimentando os lençóis freáticos (área subterrânea).
       Nos oceanos, a evaporação é  maior que nos  continentes, os  quais  recebem maior  quantidade  de chuvas. Mas,  o excesso de água acumulado nos continentes retorna ao mar, principalmente, através dos rios, equilibrando o ciclo.
       É bom salientar que quando ocorrem as chuvas, uma parte  da precipitação é evaporada antes de chegar ao solo.
      
       Distribuição   do   consumo   mundial   de   água  doce   nas  atividades   humanas
As atividades agrícolas  consomem 70% da água.

 

Foto: indústria automobilística. As indústrias consomem 20% da água.  Os ramos  de papel, petroquímico e siderúrgico são os grandes consumidores de água.

 

Foto: Cidade de Belo horizonte. "As residências consomem 10% da água".

 

 
Água  do  Planeta
Água salgada - 97,5%.      

 

As geleiras - 1,8%.          Água apta para consumo - 0,615
Total= 99,915

 

Agricultura - 69%.                Indústria - 23%.

 

 

Dessedentação (água de beber) - 8%.                       Total= 100%.

 

Estados da água
  • Líquida: É a água que existe nos cursos d'água, oceanos, mas também  como parte do corpo humano, das plantas e animais.
          Quase dois terços de nosso corpo compõem-se de água.
  • Sólida: É o gelo, que podemos observar dentro de congeladores,  neve, granizo, geadas e geleiras.
  • Gasosa: É o vapor d'água na atmosfera.
          O vapor d'água é importante para conservar o calor dos raios solares e é um dos fatores que permitiu o surgimento da vida na Terra.
SAIBA MAIS!
         A água marinha contém em média 35g de sal por litro de líquido, que é sete vezes mais sal do que nosso organismo aceita. Ela é imprópria para o consumo humano, para o uso na agricultura e na indústria. Mas muitas espécies que vivem nos oceanos e mares precisam da água salgada para sobreviver.
         A  água é mais densa no estado líquido a 4ºC. E fica menos densa (mais "leve") tanto  quando a temperatura fica abaixo dos 4ºC, como ao esquentar. 
      
O desperdício  e  impactos no uso da água
       A irrigação e o  desperdício podem provocar impactos ambientais irreversíveis. Exemplo: Mar de Aral, na Ásia (ver "Questão ambiental").
       Nas regiões onde há abundância de água doce, ocorrem o  desmatamento, a compactação do solo e a impermeabilização dos asfaltos e das edificações das cidades dificultam a infiltração da água das chuvas e diminui o volume das águas das fontes. Áreas de mananciais são constantemente ocupadas e poluídas pelos esgotos domésticos.

Desperdício.                                                                                        

 

       Há as regiões onde há escassez de água, em que pessoas andam quilômetros para conseguir um balde d'água.
       A demanda por água tem aumentado devido o aumento das atividades econômicas e das populações, mas o volume de água diminuiu com a poluição dos aquíferos, reduzindo as reservas hídricas em um terço.

 

Sertão Nordestino (Brasil)                  

       No uso doméstico, o desperdício pode ocorrer desde o sistema de capitação e distribuição até o uso em casa. Para muitos, a alternativa é utilizar a água subterrânea, através  da perfuração de  poços  artesianos. Mas  pode  levar  ao  esgotamento  e  há normas técnicas e legais a serem seguidas para construí-los.
       Na indústria, os principais impactos são na captação excessiva, por diminuir o volume dos cursos d'água, e no lançamento dos efluentes, sobretudo se não forem tratados antes de serem jogados no rio. Contendo substâncias  tóxicas, pode   causar a morte de seres aquáticos.
       Na agricultura e pecuária o consumo  é  de aproximadamente 70% da água continental. O desperdício  ocorre  através  dos métodos tradicionais  de  irrigação. A  contaminação e  degradação  do solo  pelos  agroquímicos, que  dissolvem na  água  da irrigação, contribuem para a salinização.
      A água tem um grande valor simbólico no amor, na poesia, nas religiões e cerimônias de tradições culturais, artísticas e espirituais (ver na 'página inicial' > Geografia na música e/ou Vídeos > Ecológicos).
       A maior  parte  da  energia  elétrica  produzida  no Brasil vem de hidrelétricas (84%). Os impactos  da   geração de  energia através  das usinas hidrelétricas são negativos, refletindo  na sociedade e no ambiente. As grandes barragens mudam os cursos de rios e alagam  grandes áreas, submergendo matas ciliares e florestas com toda a sua biodiversidade, áreas agrícolas, sítios arqueológicos e deslocam cidades inteiras. Aspequenas usinas são menos impactantes. Economizar eletricidade ajuda a evitar a construção de novas usinas.
       Nos rios e nos oceanos um dos problemas ambientais é a limpeza ou  lavagem de motores dos barcos, pois restos de óleo e outras sujeiras podem ser lançados na água, poluindo-a. A água de  lastro (usada para dar peso aos barcos vazios) pode  conter espécies exóticas e vetores, transmissores  de doenças. Grandes acidentes com vazamentos  constituem um  risco  de  poluição ainda maior.
       O assoreamento e o uso  exagerado da água culmina na degradação dos rios e mares. A aquicultura  e a pesca devem ser conscientes e com respeito ao ecossistema, a fim de não  destruirem os manguezais.
       O lixo afeta o ecossistema  e as atividades humanas, degradando o ambiente aquático.  Consciência e respeito ecológico devem estar inseridos no turismo.
       "Estiagem deixa 8 mil flagelados no norte  de Minas Gerais. São 16 municípios em Sergipe, além de outros locais na região Nordeste, no Brasil, que  sofrem  com a  estiagem de seis  meses e o  abastecimento é  realizado  por 157  carros pipas".

Fonte: www.g1globo.com.br/JN (21/03/2012

 

Fertilizante perigoso
           Esgoto das casas quando despejados nos rios, sem tratamento, torna-se um "fertilizante perigoso" , já que algas se  multiplicam a ponto de a taxa de oxigênio na água diminuir, provocando a morte dos peixes. Os resíduos industriais podem conter materiais perigosos para a saúde, difíceis de retirar dos efluentes.
Tratamento de esgoto
          É o processo capaz de separar os poluentes contidos no esgoto da água no qual estão misturados.
          A população pode coletar o esgoto e tratá-lo, para que a água volte mais limpa aos rios, sem matar a vida aquática ou dificultar outros usos da água. Alternativas ambientais estão sendo adotadas para diminuir os impactos do esgoto nos rios.
Proteção dos rios
          A vegetação de matas ciliares protegem os rios. Ela se desenvolve nas margens dos cursos d'água devido à umidade local, evita a erosão do solo que causaria o assoreamento (desbarrancamento das margens e depósito de sedimentos no leito dos rios) e  regula a penetração da chuva na terra, melhorando a recarga da água subterrânea.

 

Mata galeria ou mata ciliar.

 

Distribuição do consumo no Brasil
  • Animal----------------------------------11%
  • Industrial--------------------------------- 7%
  • Irrigação--------------------------------69%
  • Rural-------------------------------------- 2%
  • Urbano-----------------------------------11%
Total: 841 m3/s

 

Aumento do nível do mar
       São dois causadores da elevação do nível do mar:
  • O derretimento das geleiras.
  • A propriedade de expansão das moléculas de água quando aquecidas. Essa elevação afetaria a vida das  pessoas e as atividades econômicas ralizadas nas regiões costeiras. Mas trata-se de um processo lento que pode ser minimizado com medidas mitigadoras e adaptativas.
A distribuição da água no Brasil
  • Na Amazônia: 70% da água fica nessa região, que possui em torno de 5% da população.
  • No  Nordeste: 3% da água.
  • No Sudeste:  6% da água e é a região mais populosa.
       Em algumas cidades, para abastecer a população  integralmente, é  necessário buscar água em bacias hidrográficas vizinhas, onde as outras pessoas também necessitam do recurso hídrico.

 

A Transposição do Rio São Francisco, que atenderá os estados de Ceará, Paraíba e Pernambuco. Previsão de conclusão da obra em abril de 2012. Fonte: www.g1.globo.com.br/Jornal Nacional em fevereiro de 2012.

 

Mesmo com a transposição do Rio São Francisco, ainda há pecuária de cabras na região.

 Fonte:www.g1.globo.com.br/Jornal Nacional

 

Os efeitos previstos para as águas brasileiras
  • Agricultura: Com a mudança no regime das chuvas, associada ao aumento das temperaturas, os agricultores terão de escolher produtos adaptados para a  nova situação, além de técnicas  agrícolas que minimizem a tendência de erosão e  conservem a água. Devem também se  preparar para o aumento de chuvas de granizo e vendavais.
  • Biodiversidade aquática: Os estuários poderão ficar mais salgados (água salobra). Os rios e lagos receberam partículas de terra  devido as  chuvas torrenciais. São  situações  que  levarão  a  extinção de espécies  aquáticas àquelas  que  não  se adaptarem aos efeitos do aquecimento global.
  • Energia hidrelétrica: Em áreas com seca e muita  evaporação, a  vazão dos  rios  diminuirá, prejudicando  a  geração  de energia. E em relação às barragens, deverão ser resistentes às chuvas torrenciais, que podem rompê-las.
   

Aumento de assoreamento no rio devido falta de mata ciliar e chuvas torrenciais.

 

  • Cidades:  As grandes cidades são  muito impermeabilizadas pelo asfalto e cimento. Elas serão atingidas por inundações. Tempestades podem provocar mais desmoronamentos nas encostas de morro sem vegetação.
  • Rios: Com a elevação  das temperaturas, mais calor e a possível  diminuição das   chuvas  em  regiões  mais  quentes, a vazão dos rios poderá diminuir, prejudicando a navegação, ou seja, o  transporte  fluvial. E em relação ao saneamento, a poluição aumentará devido menor quantidade de água para diluir o esgoto.
  • Saúde: Chuvas fortes favorecem a multiplicação de doenças, como insetos transmissores da dengue. Diminuição de chuvas na floresta ou mata pode gerar queimadas e problemas respiratórios. 

O Rio São Francisco, atualmente, apresenta prejuízos à navegação.  

                                                                                                                                           

     Mais de dois terços de uma das  reservas subterrâneas estão situados no Brasil: o  Aquífero Guarani (Paraguai, Argentina e Uruguai). A  porção  brasileira  abrange  os  estados  de  Góias, Mato Grosso  do Sul, Minas  Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do  Sul.
Aquífero Guarani
       O reservatório Guarani, maior aquífero do mundo (Sistema Aquífero  Guarani),  aflora em alguns pontos. Localizado em uma das áreas de maior concentração populacional e de maior consumo de água do país.
      As águas do aquífero também ocupam trechos do subsolo da Argentina, do Paraguai e do Uruguai.
       Localizado entre formações da Serra Geral, o aquífero tem 1,2 milhão de km2.É composto de pouca argila e muita areia, o aquífero é de excelente qualidade, recoberto  90% por  uma camada de  basalto de até 1.700metros, que garante  a proteção  contra contaminações.

 

         A exploração científica do Guarani começou no  início  dos anos 1970. Argentinos, uruguaios, paraguaios  e  brasileiros  são contemplados  pelo reservatório.
        Há  mais  de dois  mil  poços perfurados no  Sistema  Aquífero Guarani, com  profundidade que variam entre 100  e  300  metros.

(ver "Bacias hidrográficas").

 

Práticas sustentáveis para a água
       "O nosso planeta necessita da nossa responsabilidade, respeito e amor".

AÇÕES:

  • Em setembro de 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou as Metas do Milênio. É um conjunto  de  oito metas a serem atingidas pelos países até o ano  de 2015, por meio de ações concretas dos governos e da sociedade. Dentre elas:dar fim à exploração insustentável dos recursos hídricos(...), reduzir  para  a  metade, até  o ano  2015, a porcentagem de habitantes do Planeta com rendimentos inferiores a um dólar por dia e a  das  pessoas  que  passam fome (...) assim como  reduzir para  a  metade  a  porcentagem  de pessoas  que  não  têm  acesso à agua potável ou carecem de meios para obtê-lo.