Agentes internos: tectonismo, vulcanismo e abalos sísmicos

Webnode
Agentes internos: tectonismo, vulcanismo e abalos sísmicos

       No interior do nosso planeta há uma camada chamada manto, apresentando-se em estado pastoso. E sobre essa camada estão as placas tectônicas,  que deslizam sobre ele, originando o tectonismo, vulcanismo e abalos sísmicos.

Tectonismo

       Os movimentos lentos e prolongados que atuam na crosta terrestre formam o  tectonismo.

       Quando as forças tectônicas são predominantemente horizontais, ocorre o dobramento, originando grandes  cordilheiras, como os Andes (América do Sul), os Alpes (Europa), o  Himalaia (Ásia) e as Montanhas Rochosas (América do Norte).

 

Dobramento, forma de relevo  originou-se de forças tectônicas horizontais. 2012.

Vulcanismo

       Nas zonas de limite entre as placas tectônicas que o magma (material pastoso e de elevada temperatura presente no interior da Terra) encontra fraturas que permitem sua passagem, ocasionando a erupção vulcânica.

 

Foto 1: Erupção vulcânica.       Foto 2.

       Os vulcões ao entrarem em atividade, modificam a superfície, formando montanhas, planaltos vulcânicos e ilhas. O solo resultante da atividade vulcânica, originário da rocha basáltica, é muito fértil, favorecendo a prática da atividade agrícola.

       No Brasil há o solo de terra-roxa, principalmente no centro-sul do país, solo que se originou  de um vulcanismo na Era Mesozoica.

       Atualmente há 500 vulcões ativos no mundo, sendo 400 deles localizam-se numa faixa que contorna o oceano Pacífico, (Círculo de fogo do Pacífico).

      

Abalos sísmicos

       A crosta terrestre é um descontínuo e fragmentado de vários blocos, os quais são formados por partes continentais e oceânicas (o fundo ou assoalho  dos oceanos). Cada bloco corresponde a uma placa tectônica, que se desloca pelos movimentos de convecção do magma.

       Nas áreas próximas aos limites entre as placas ocorrem muitos terremotos (abalos sísmicos) e a atividade vulcânica é intensa. As  grandes  cadeias

montanhosas da Terra, situadas nessas áreas, surgiram por causa da colisão (ou obducção) de placas, como  a cordilheira do Himalaia, ou pelo processo de subducção, como a cordilheira dos Andes.                                                                                                                                                                               Quando as placas tectônicas se chocam, elas geram um acúmulo de pressão e descargas de energia, que se propaga em forma de ondas sísmicas. A propagação dessas ondas provoca a vibração das rochas e grande impacto nas áreas de montanhas próximas à região de atrito.


  Foto1        Foto 2             Japão, terremoto, 2011.

       O abalo sísmico recebe o nome de maremoto quando ocorre no fundo dos oceanos, provocando ondas de movimento acelerado e grande altura ao se aproximar da costa. Se a onda que se forma for muito grande, recebe o nome de tsunami, como a que afetou diversas  regiões  da Ásia e da África no final de 2004, com óbitos de mais de 280 mil pessoas.

    A reconstrução é realizada de forma muito eficiente nos locais em que danos foram gerados pelo tsunâmi em 2011. Ver Abalo sísmico .